segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Centenário do Boi Calemba Pintadinho...

O boi centenário


Publicação: 04 de Setembro de 2010 às 00
Tribuna do Norte por Maria Betânia Monteiro - Repórter

As cores, os sons e os movimentos do Boi de Reis ainda estão vivos na memória dos norte-rio-grandenses, sejam eles brincantes, espectadores ou ouvintes dos pais e avós contadores de história. Algumas comunidades no estado ainda têm o privilégio de contar com a presença deste folguedo, como no caso de São Gonçalo do Amarante, que tem o Boi Calemba Pintadinho ativo há pouco mais de 100 anos.

Divulgação
Projeto envolve ongs e instituições preocupadas com o futuro do mais rico brincante potiguar. Além de documentar, projeto vai realizar, em janeiro, a grande celebração dos bois potiguares. O Boi Calemba Pintadinho tem um papel muito importante em São Gonçalo do Amarante, segundo revela o fotógrafo e membro da Comissão do Folclore do RN, Lenilton Lima: “a cidade de São Gonçalo é muito violenta e esta aproximação da população com o boi é muito positiva”.



Acreditando neste poder do boi, a República das Artes, o Ponto de Cultura Boi Vivo, o pastoril Dona Joaquina, o Bambelô da Alegria, o Congo de São Gonçalo e o próprio Boi Calemba, se juntaram para dar ânimo, cor, vida e história ao folguedo.
No caminho das descobertas históricas, Lenilton e o grupo de parceiros resolveram cair em campo para coletar documentos e fazer o arquivo histórico do Calemba Pintadinho, além de coletar imagens fotográficas, vídeos, informações, instrumentos musicais e de composição dos personagens do boi para finalizar com a celebração maior, em janeiro de 2011.
A intenção é que no mês onde os brincantes do boi encerram as festividades do ciclo natalino, seja feita uma grande comemoração na cidade, com a presença de outros grupos folclóricos.


Próximas ações

O levantamento histórico faz parte de um projeto ainda maior, que é o de fomentar a identidade cultural do município, que já existe e que precisa ser reconhecida. “Trabalhamos com a autoestima do grupo, mostrando a importância da atividade do Boi Calemba”, disse Lenilton.

Segundo Lenilton, o boi tem oficialmente 105 anos, mas há suspeita de que seu trajeto seja ainda maior, já que o Mestre Atanasio Salustino, pai da romanceira Dona Militana, é tido como um dos primeiros mestres do Calemba Pintadinho no início do século XIX, sendo que antes dele, havia outro mestre, cujo nome é desconhecido.

“Vamos marcar um final de semana inteiro, onde ficaremos na comunidade, aguardando as fotos e demais objetos, que possam compor a história do Calemba Pintadinho”, disse Lenilton. O membro da comissão do folclore lembra que as fotos serão copiadas e devolvidas na mesma hora e todo acervo ganhará, no futuro, um memorial.

Outra ação de levantar a poeira é a série de eventos proposta pelo grupo, em comemoração aos 100 anos do Boi Calemba Pintadinho, que passou em branco, em 2005. A partir de agora, até o mês de janeiro, haverá em São Gonçalo e em outras localidades, vários eventos.

Um deles aconteceu ontem, quando o Mestre Dedé Veríssimo tocou o ensaio do Boi Calemba, assistiu com os integrantes e convidados o filme Boi de Prata, do cineasta Augusto Ribeiro Junior, que trazia imagens do Boi de São Gonçalo e dançou o autêntico forró pé de serra, puxado pelo rabequeiro Damião.

O próximo encontro está marcado para o dia 24 deste mês, onde a prefeitura de São Gonçalo vai promover uma homenagem ao Boi centenário.

Além de fomentar a autoestima da população através do Boi, as festividades também servirão para resgatar o Fandango e fortalecer os Congos e o Bandelô de São Gonçalo do Amarante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário