quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

5º ENCONTRO DE REIS DE ZABELÊ/PB






ZABELÊ É UMA CIDADE PEQUENA EM NUMERO DE HABITANTES

E GRANDE EM EXEMPLO PARA O BRASIL

fotos: Leniltn Lima
Cortejo pelas ruas de Zabelê

O 5º Encontro de Reis de Zabelê teve início no feriado de Reis no dia 06 de janeiro com a chegada de grupos, artistas, oficineiros e Estudiosos do folclore nordestino na cidade sede do evento. Além de grupos da Paraíba estiveram presentes representantes do Rio Grande do Norte e Pernambuco. O evento que teve inicio no dia seis se estendeu até o dia oito de janeiro com o desfile e apresentações dos grupos de Pífano, Reisado e Boi de Reis.

A cidade de Zabelê tem pouco mais de 2.100 habitantes, com uma receita de 6.019.553 e despesas 4.497.012. Segundo dados do IBGE de 2009.

Zabelê entrou na história no dia dois de outubro de 1837, quando o Padre. José Gomes Pequeno, vigário da então freguesia de Nossa Senhora dos Milagres de São João do Cariri, batizava dois rapazes na fazenda de Zabelê. Mas o então distrito de São Sebastião do Umbuzeiro só passou a receber visitas rotineiras de religiosos no ano de 1938, quando começava a surgir um pequeno povoado naquela fazenda.

O nome ZABELÊ é uma homenagem a um pássaro que era comum na região e que tinha o habito de se alimentar dos frutos caídos dos juazeiros. Infelizmente hoje não existe mais essa ave no município.  A Zabelê se encontra em fase de extinção no Brasil.

O distrito foi elevado à categoria de município com a denominação de Zabelê, pela lei estadual nº 5919, de 29-04-1994, ficando assim desmembrado de São Sebastião do Umbuzeiro.

A cidade de Zabelê tem um encantamento na sua simplicidade, seu povo acolhedor oferece uma estadia maravilhosa.

A oficina de briquedos antigos para as crianças
A viagem para O 5º Encontro de Reis de Zabelê nos mostrou o quanto precisamos crescer, nos organizar e nos unimos em torno do patrimônio material e imateria de nosso Estado, buscando assim um planejamento onde exista uma politica de valorização aos nossos mestres e brincantes.






Zabelê é uma cidade pequena em numero de habitantes e grande em exemplo para o Brasil. Quando comparamos a Natal, terra de Câmara Cascuda ou São Gonçalo do Amarante berço da cultura do Rio Grande do Norte, sentimos a necessidade de um de politicas publicas. Estamos parados no tempo, nossas fundações que já deveriam serem secretarias  não conseguem reconhecer a grandeza da importância da nossa arte e cultura.


Romero Zeferino: Sec. de Cultura
e Sandra Belê
O 5º Festival de Reis pagou cachê, deu hospedagem e alimentação aos grupos na sua maioria com mais de vinte componentes, além das atrações culturais também ministraram oficinas para gestores culturais e crianças da cidade.

No dia sete teve o Forró Pé de Serra da Banda Gente Boa, o samba de coco Raízes de Arcoverde e o DJ Til Dal no encerramento da noite de sábado.

No domingo tivemos o desfile dos grupos pelas ruas da cidade até o palco erguido no final da Praça Odilon Rodrigues Neves. O evento com a Banda de Pífano Perfumado de Monteiro/PB.

Logo em seguida iniciaram as apresentações dos folguedos com o grupo da casa, o Reisado de Zabelê, o Boi Calemba Pintadinho de São Gonçalo do Amarante/RN, o Reisado de Caraíbas/PB e o Boi de Reis do Mestre Pirralhinho de João Pessoa fazendo o encerramento do evento.



No evento tivemos a visita da secretaria de cultura de Campina Grande Eneida Agra Maracajá a do professor Emilson Ribeiro uma das maiores autoridades em cultura popular do nordeste.

Sec. de cultura de Campina Grande
prof. Eneida Agra Maracajá e o Boi Pintadinho.
Antes do evento secretaria Eneida Maracajá, fez questão de ir à fazenda Santa clara onde os grupos e artistas estavamos hospedados para fazer um convite para o Boi Calemba Pintadinho participar do festival de inverno de Campina Grande/PB.

No evento o Boi Pintadinho teve dois grandes momentos primeiro quando Secretaria de Cultura de Campina Grande relembrou a participação do Boi Calemba Pintadinho na festa de Emancipação de sua Cidade no ano de 1975. Naquela época o grupo era mestrado por Pedro Guajiru e Mestre Dedé Verissimo ainda era o birico do Boi.

Uma das melhores apresentação do Boi Pintadinho
Depois da apresentação as homenagens ficaram por conta do professor Emilson Ribeiro quando se dirigiu ao Mestre Dedé Verissimo e lhe fez dos elogios fervorosos da participação do Boi de Pintadinho, Emilson mostrou interesse em ver o Boi se apresentando na cidade de João Pessoa.

A conjuntura social em que grande parte dos grupos de tradição oral esta inserida e necessitam de ações verdadeiras que possibilitem que os mesmos continuem suas atividades de modo a serem respeitados pela comunidade local, repassando seus saberes para as novas gerações.

Mateus do Reisado
O festival de Reis que esta em sua 5º etapa é uma iniciativa da Associação Cultural de Zabelê com parceria com a Prefeitura Municipal. O Evento é patrocinado pelo Governo do Estado da Paraíba, SEBRAE/PB, Fundação João José e a prefeitura de Zabelê.

A viagem do Boi Calemba Pintadinho ao 5º Festival de Reis teve o empenho da Republica das Artes através do Ponto de Cultura BoiVivo em parceria com grupo de forró Será o Benedito e o Pedubreu.

O apoio e o compromisso com a cultura popular do IFRN através do professor Lerson Fernando (Diretor do IFREN - Cidade Alta) foi determinante na concretização desse momento de tamanha importância para a cultura nordestina. Também gostaríamos de agradecer ao motorista Demir do IFRN que nos proporcionou uma viagem tranquila e segura.



Mestre João do Boi brincando como Mateus
Não poderíamos esquecer a dedicação dos que fazem o Festival de Reis de Zabelê, seria injusto citar nomes já que fomos bem recepcionados por todos que fazem o festival.

A viagem ao sertão do Cariri foi um ensinamento para nos brincantes e agentes culturais. Fica aqui registrado nossos agradecimentos aos nos proporcionaram esse momento impar.

O intercambio entre grupos de folclore é sua fonte de revitalização já que os saberes de nossos Mestres e Brincantes são repassados através da oralidade.

Um comentário:

  1. esta foto nao é do mestre joão do Boi e sim do mestre José Cirilo.

    ResponderExcluir