sábado, 28 de janeiro de 2012

AS EMAS DO RIO GRANDE DO NORTE QUE CÂMARA CASCUDO DISSE QUE NÃO EXISTIA

Texto, fotos e vídeo: Lenilton Lima








Em Materia publicado na Tribuna do Norte no “Fascículo 4 - Massacres no Rio Grande” que se refere à Ema no Brasão Holandês do Rio Grande.

Á reportagem cita as afirmações do historiador potiguar Câmara Cascudo sobre a não existiam das aves aqui no Rio Grande do Norte e atribui o desenho do pássaro no Brasão Holandês ao chefe indígena Jandui que por ser aliado dos holandeses ganha a homenagem do Conde Mauricio de Nassau.
Jandui ou Nhanduí siguinifica, A Pequena Ema.

Em 2007 eu, Lenilton Lima e a antropóloga Jussara Galhardo fomos a Assú/RN com a missão mapear duas comunidades e colher assinaturas dos caboclos açuenses que requeriam da FUNAI o reconhecimento de suas comunidades como de origem indígenas.

Sempre que chegamos ao Banguê nós nos dirigimos à casa de João Brabo de 86 anos, ele é um dos moradores mais antigo da localidade.

Nesse dia ele falou sobre os remédios que seu povo tirava da mata e dos animais que o seu pai e os moradores mais antigos caçavam.

Logo que ele começou a falar sobre a existência das emas no Banguê, me vem na lembrança da publicação do jornal Tribuna do Norte onde Câmara Cascudo contestava a existência dessas aves aqui no nosso Estado.

Algumas duvidas me vem.

Como Jandui um índio Cariri nascido no Rio Grande do Norte recebe o nome de uma ave que não tinha no Estado?

No depoimento do Senhor João, ele afirma que no final dos anos 40 ainda existia emas nas matas de Assú/RN.

Diante desse impasse estou postando o vídeo de seu João Brabo contando as historias das emas do Rio Grande do Norte que Cascudo disse que não existia.










2 comentários:

  1. amigo Lenilto, só corrigindo, "nhanduí" ou "janduì",significa "EMA LIGEIRA OU VELÓZ".

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo texto e pela preocupação com tudo o que rege nossa cultura.

    ResponderExcluir